Por causa de mulher detida, 16 militares da GNR ficaram em quarentena

A mulher que foi detida junto à fronteira do Caia na posse de 5.080 doses de cocaína, está infetada pela  covid-19 e obrigou 16 militares da GNR a ficarem em quarentena.

A mulher, de 36 anos, de nacionalidade estrangeira, detida na quinta-feira junto à fronteira do Caia, em Elvas, distrito de Portalegre, foi encaminhada na madrugada de hoje para o Hospital Prisional de Caxias. Por causa dela, 16 militares do Destacamento Territorial de Elvas da Guarda Nacional Republicana (GNR), estão em quarentena.

De acordo com a fonte da GNR, a mulher “começou na quinta-feira à noite, no posto de Elvas, a sentir dores e a apresentar sintomas de estar infetada pela doença covid-19”, tendo afirmado ter estado “em contacto com pessoas supostamente infetadas”.

A mulher foi encaminhada para o Hospital de Santa Luzia, em Elvas, tendo sido testada ao novo coronavírus na madrugada de sexta-feira e regressado às instalações da GNR, em Elvas, a aguardar o resultado do teste, que acusou positivo para a doença, segundo a informação prestada pelo hospital à GNR, na sexta-feira à noite.

O Tribunal Judicial de Elvas decretou na sexta-feira a prisão preventiva da suspeita, que por precaução, “por apresentar sintomas de estar infetada” com o novo coronavírus, não chegou a ser presente ao tribunal, de acordo com a fonte da força de segurança.

Na sexta-feira, fonte da GNR tinha indicado à Lusa que a suspeita ficaria a aguardar julgamento no Estabelecimento Prisional de Tires.

noticia adaptada do site sabado.pt

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail