Linha Circular do Metro de Lisboa vai perder 83 milhões de fundos europeus

O parlamento tratou de adiar a construção da linha circular do Metro de Lisboa mas o ministro do ambiente diz que o projeto vai perder fundos europeus com este adiamento.

“É uma decisão irresponsável que lesa profundamente a cidade de Lisboa e a sua área metropolitana, que põe em causa a separação de poderes e que adia por três anos qualquer obra de expansão do Metro”, começou por dizer esta quarta-feira em conferência de imprensa.

A medida que prevê a suspensão por um ano o início da construção desta linha de forma a realizar um estudo foi aprovada por PSD, Bloco de Esquerda, PCP, PAN e Chega. O PS votou contra, enquanto CDS e a Iniciativa Liberal abstiveram-se.

“O estudo que foi solicitado fazer num ano, está em boa parte executado, alias foi esse mesmo estudo que levou à opção pela linha circular em detrimento da linha vermelha até Campo de Ourique. O número de novos passageiros por ano que constam desse estudo são de 7,8 milhões para a linha circular, e de 3,7 milhões de passageiros na linha vermelha. A linha circular gera mais procura interna, contribui para que os que chegam a Lisboa vindo da margem sul e de Cascais”, afirmou João Pedro Matos Fernandes.

O ministro do Ambiente diz que o adiamento por um ano, significa na prática o adiamento por “três anos”, o que “significa perder 83 milhões de euros de fundos comunitários”.

Matos Fernandes também deixou críticas ao PSD por ter aprovado a medida. “Essa decisão é ainda mais irresponsável por parte de um partido que foi poder, o PSD”. O ministro apontou que o dinheiro que o Governo de António Costa herdou do Governo de Passos Coelho em termos de fundos comunitários foi de “zero euros”.

noticia adaptada e imagem do site jornaleconomico

 

Facebooktwitterpinterestlinkedinmail